Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Night Shifts XX - My Dying Bride

Comecei a tocar guitarra graças ao Lígio (o primeiro vocalista de uma banda de Silves chamada Teasanna Satannae seria nessa altura que começaria a fazer as minhas primeiras experiências com ele e com um outro tipo a que lhe costumávamos chamar o "Barba"(curiosamente o seu irmão mais novo era o "Barbicha") este já tinha uma técnica mais avançada do que nós os dois, mas manteve sempre uma grande paciência e uma calma que nos punha à vontade, eu costumava naquela altura ter quase sempre comigo um gravador portátil e recordo-me especialmente de ter gravado uma longa sessão de improvisos em que tivemos sentados com as respectivas guitarras acústicas na mata junto à vila de Odiàxere. Talvez influenciado pelos noruegueses Ulver daria a essa nossa sessão e ao nosso "projecto" o nome piroso e pomposo de Lobos Lusitanos. Creio que até utilizei a designação latina Lupus Lusitani mais tarde quando tentei continuar sozinho esse projecto e curiosamente a tal banda de Silves, conhecidos como Chá do Diabo ( Antropa Belladona, uma planta conhecida pelas suas propriedades halucinogénicas) também utilizava o nome em Latim. Nas sessões da mata apenas limitava-me a acompanhar-los com as notas que eles diziam para tocar mas esta seria a minha primeira "banda" se assim pode dizer. Mais tarde, graças ao Nuno Roberto (Sirius,Dwelling) aprenderia a tocar algumas músicas...assim de repente lembro-me de ter aprendido a tocar músicas dos My Dying Bride( Your River,For You)Burzum (Dunkelheit,War), e outras que agora não me recordo, com o Bob Sneijers(In tha Umbra,Fungus) aprenderia a tocar algumas da sua banda ( Like Ravens Beneath Nightskies, Shadow Caressing Shadow) e seria precisamente com estes dois que faria uma outra banda de curta duração, costumávamos ensaiar em Lagoa aonde o Bob vivia e eu costumava tocar com o baixo Tobias do Sr.Willem (o seu pai) por falta de tempo apenas chegaríamos a fazer duas músicas sem termos chegado a decidir quem seria o nosso vocalista. Eu próprio viria a tornar-me vocalista e por isso talvez tenha optado a dedicar-me mais a escrever letras embora chegasse a fazer um ou outro riff de guitarra com essa banda. Muito provavelmente pela maneira como saí ou talvez apenas por ter ainda tentado fazer uma outra banda e essa não ter também resultado...não sei,a verdade é que desanimei de tal maneira que fiquei vários anos sem tocar numa guitarra. E hoje em dia ainda considero que não sei tocar tudo devido ao estilo de música que ouvia na altura. Assim, se costumava tocar regularmente os chamados acordes de travessão ou barra e treinava escalas musicais (pentatônicas; diatônicas) e nunca tinha dificuldades em sacar riffs de bandas de Black Metal se me pedissem para tocar uma sequência de acordes ritmada já teria mais dificuldades e por favor não me peçam para tocar Ska, Funk ou Bossa Nova ...isto tudo por causa das técnicas que optei por desenvolver,curiosamente só mais tarde é que aprenderia a tocar clássicos como a "Wish you where here" ou a "Smells like teen Spirit".A verdade é que andei a pensar corrigir todas estas lacunas e gostaria por exemplo de voltar a tocar baixo numa banda. Talvez em homenagem ao Sr Willem que só começou a tocar aos 50 anos. Talvez porque agora finalmente acredite em mim próprio e de que poderia de facto fazer algo de novo e positivo na musica. E pode ser que um dia ainda consiga aprender a tocar Bossa Nova em vez de Black Metal na guitarra. Há sempre aquele tipo de coisas que gostaríamos de poder fazer na vida,há quem gostasse por exemplo de ir até à "Grande Muralha da China" eu pessoalmente preferia antes voltar a ter 16 anos e aprender a tocar música como deve ser.
Esta música dos My Dying Bride terá sido muito provavelmente a primeira música completa que aprendi a tocar. 
Que estranho ter começado assim, penso eu hoje em dia.
E esta música trás consigo tantas memórias, tanto de pessoas como de momentos, algumas boas outras menos boas.



Sem comentários:

Enviar um comentário