Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Cinema Expressionista



Cinema Expressionista
(“ O Expressionismo é um jogo” – Dr.Mabuse)

  
  A época dourada do cinema alemão foi durante o período de convalescença da I Grande Guerra.
  Os primeiros filmes a serem catalogados como expressionistas terão sido Der Golem (1920), Das Cabinet der Dr Caligari (1920),Nosferatu (1922).
   O director mais conhecido vindo desse período foi sem duvida Fritz Lang, que faria também uma carreira bastante produtiva em Hollywood, aonde viveu mais de dez anos como exilado.
   Fritz Lang passou grande parte da adolescência em Viena, talvez mesmo influenciado pelo popular retratista local, Egon Schiele, terá chegado a ambicionar seguir uma carreira como pintor, apesar deste pormenor no entanto negaria sempre a influência do Expressionismo nos seus filmes (“O Expressionismo é um jogo” - dizia a personagem principal do seu primeiro Dr Mabuse) embora filmes como M (For Murder) ficassem demarcadas na história do cinema como referências do movimento, muito devido ao “curioso jogo de sombras” entre a personagem de Peter Lore, o assassino de crianças, e o espectador.
   Esse “jogo” também criava contrastes extremos,entre luz e sombra com o chamado Chiaro Obscuro, todas estas ambientações sinistras e obscuras seriam percussoras dos filmes de terror e os filmes noir norte-americanos.O facto de alguns realizadores e actores terem mesmo exilado-se em solo americano no período da II Guerra Mundial terá contribuído decisivamente para o surgimento de tais estilos, caso por exemplo de Karl Freund (realizador do primeiro Dracúla em 1931) de referir que até o mestre do suspense, Alfred Hitchcock estagiou durante algum tempo nos estúdios da UFA, o estúdio alemão que faliu logo após ter financiado a obra megalómana de Lang, Metropolis (1927). Os enredos dos filmes lidavam com a loucura, insensatez, traição, sendo estes carregados de simbolismo e por vezes seguidores de uma temática que lembrava o lado onírico também muito abordado pelo Surrealismo. Inconfundível sem duvida era o estilo dos cenários utilizados em Nosferatu e Dr Caligari cujas formas geométricas e cujo o imaginário nos faz recordar imediatamente as cidades e ruas que os quadros de Kirchner ou Schiele nos apresentavam.
   No cinema contemporâneo existem claras tentativas de captar o espírito do Expressionismo Alemão em filmes como: Blade Runner (1982) ou Batman Returns (1992) cujas cidades são impossíveis de se dissociarem das emblemáticas imagens de Metropolis, Tim Burton será muito provavelmente o realizador que mais foi beber a essa fonte.Veja-se filmes como Edward Scissorhands e compare-se as semelhanças entre a personagem do Johnny Depp e o sonâmbulo de Dr Caligari ou então os cenários de Sleepy Hollow com os utilizados em Der Golum e Nosferatu, cenários esses que seriam homenageados na musica contemporânea pelos Red Hot Chili Peppers no videoclip The Other Side.           







   Por muitos considerado o expoente máximo do cinema expressionista, Dr Caligari (1920) foi realizado por um desconhecido Robert Wiene, que conta-se, terá substituído Fritz Lang na escolha inicial da produtora.
    As imagens em Dr Caligari são como reflexos em espelhos deformantes. Todas as expectativas são invertidas. A fotografia, que foi assumida por Willy Rameister, trasta-se um Chiaro Obscuro de contrastes violentos e fortemente anti-realistas que acentua ainda mais esse processo de inversão, numa intenção de estética onírica e surreal.
   Toda esta estética visava criar no espectador a perspectiva de um louco que narra a história num manicómio, logo a narrativa parte-se depois do inicio e no epilogo de uma visão de uma mente delirante.
   O filme ficaria imortalizado dentro de um estilo efémero e fugaz que reflectia o estado de desalento espiritual que se vivia na Alemanha do Pós guerra. Influenciaria outros futuros clássicos como o já aqui citado Edward Scissorhands.
Os cenários, criados em pedaços de madeira e pano pelos pintores expressionistas Walter Reimann e Walter Rohrig e pelo cenógrafo Hermann Warm, ainda existem e estão expostos no Museu do Cinema Henri Langlois, em Paris.