Pesquisar neste blogue

sábado, 30 de abril de 2016

A ironia das verdades


entre a cegueira e a multidão
esta faca de dois gumes na mão
aonde te tentas imaginar 
em tudo o que ela faz
nessa sua doce e cruel grandeza
nessa sua indolente e infiel tristeza
inquietação,não te escondas ainda
hoje estás aqui na certeza
que na ironia das verdades
algo tornou a escapar-se
entre os dedos.


"Mas eu sou diferente" 
diz o manda-chuva
"Sou alguém" 
diz o criminoso
"Sou teu irmão" 
dizem agora todos aqueles
que dantes te recusaram dar a mão.

Nado-morto 
à nascença da crença
aonde há sempre quem se esqueça
de quando foste o bom samaritano
afinal do que serviu 
seres prestável e servil
em suma de novo humano
se haverá sempre quem te aponte o dedo
os falsos moralistas escolhem medos
desde as suas prisões morais 
de quem já não sabe o que diz
e porque o diz 
de quem já nada contradiz 
sem alternativas
sem meias medidas
nem pontos de fuga
nestas forças que não se abatem
nas horas de não escolha
na urgência por alguém 
no silêncio de ninguém

Na mais variável das desigualdades
num mundo cheio de injustiças
e meias verdades
a ironia é mesmo 
a maior de todas
as verdades.




sexta-feira, 29 de abril de 2016

Recomendação Literária V - Mário Cesariny (O Vermelho e o Verde)



-De que cor é o vermelho?


-É verde.


-Quem é o teu pai?


- É o revisor do comboio para a lua.


- O que é a loucura?


- É um braço solidário sorrindo para os meninos.



- Quem é Deus?



- Um vendedor de Gravatas.



- E como é a cara dele?



- É Bicuda, com uma maçaneta na porta.







quarta-feira, 27 de abril de 2016

Recomendação Literária IV - Jorge de Sena

*Ainda dentro do mesmo tema.



Não hei-de morrer sem saber
Qual a cor da liberdade.

Eu não posso senão ser
desta terra em que nasci.

Embora ao mundo pertença

e sempre a verdade vença,

qual será ser livre aqui,
não hei-de morrer sem saber.

Trocaram tudo em maldade,
é quase um crime viver.
Mas embora escondam tudo
e me queiram cego e mudo
não hei-de morrer sem saber
qual a cor da liberdade

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Night Shifts X- Chico Buarque

Chico Buarque de Hollanda 
cantando a revolução.

"Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto do jardim
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manie de novo
Algum cheirinho de alecrim "


sexta-feira, 22 de abril de 2016

Night Shifts IX- Pink Floyd

Também eu andei à procura do sitio aonde vivia o Syd Barrett, tal como naquela canção dos Television Personalities quando estive em Cambridge pela primeira vez. Acabei por não encontrar a casa do Syd mas por ir parar às Grantchester Meadows um dos locais mais marcantes numa das mais belas cidades de Inglaterra.Há muito de Cambridge na música dos Pink Floyd e apercebemo-nos disso depois de visitarmos a cidade.





Recomendação Cinematográfica XVIII - O Sangue (1989)


Ao longo da minha vida posso dizer que quase sempre tive a sorte de ter tido pessoas que me enriquecessem culturalmente ao nível das várias artes, assim se em Portimão algumas pessoas mais próximas estavam mais ligadas à música e às belas-artes, em Faro por exemplo as pessoas mais próximas eram ligadas à poesia e às artes performativas. Por sua vez em Lisboa,curiosamente costumava dar-me mais com cinéfilos, alguns antigos estudantes da Ar.co ou apenas espectadores assíduos nas sessões da Cinemateca Portuguesa. Para muitos deles a grande referência cinematográfica a nível nacional era o Pedro Costa, também me falavam por exemplo do Gonçalo Tocha de quem alguns são amigos,mas o Pedro Costa será sem dúvida a maior referência, digamos assim.Tive a sorte de ver dois filmes dele,o Ne Change Rien(2009) um documentário sobre a cantora francesa Jeanne Balibar em estreia absoluta no Cineclube de Faro. E o Sangue(1989) na altura das comemorações do seu vigésimo aniversário.Um dos meus filmes preferidos a nível nacional com o recentemente falecido actor Pedro Hestnes no papel de Vicente e uma estreante Inês de Medeiros no grande ecrã. 



                                      




 

Recomendação Cinematográfica XVII - 8 1/2 (1963)

Ainda falando de Manoel de Oliveira de referir que os Neo-Realistas italianos chegaram a ver nele um percursor que tinha vários pontos em comum com o cinema que eles próprios procuravam fazer.
Mas depois dos Neo-Realistas veio Fellini... e Fellini para mim é mais nem menos que um dos mais geniais realizadores de todos os tempos. E o 8 1/2 um dos meus filmes preferidos de sempre.Quase custa a crer que um filme que inicialmente poderia apenas recriar a falta de inspiração de um realizador em escrever um argumento tenha tido este resultado. Onírico, surreal e de um humor verdadeiramente mordaz, um humor que se poderá caracterizar como tipicamente felliniano. E estará aqui a sua distinção em relação a outros outros realizadores, o facto de conseguir esta linguagem cinematográfica tão peculiar.E em 8 1/2 consegue-o com Marcelo Mastroianni a desempenhar brilhantemente o papel do seu alter-ego e uma vez mais com Nino Rota na banda sonora.







Night Shifts VIII - Sergio Godinho

Nunca fui um seguidor assíduo do Sérgio Godinho mas o Pré-histórias tem algumas canções bem boas.Hoje descobri esta.




Recomendação Literária III - Luís Ene

A noite de hoje trouxe-me à memória um outro escritor por quem sempre senti grande estima pela sua personalidade afável e bem disposta. Falo de Luís Nogueira e a Rua do Imaginário é o nome do seu programa de rádio na RUA FM.
Recordo-me perfeitamente quando me ofereceu um exemplar do seu livro "Saudades de Água" em noite de aniversário.




Napoleão Mira

Hoje por estes lados tive o privilégio de ouvir e conhecer o conterrâneo Napoleão Mira.
Uma agradável surpresa sem duvida.




quinta-feira, 21 de abril de 2016

Corto Maltese

Os meus hábitos de leitura sempre foram estranhos e talvez o mais estranho seja o facto de raramente terminar de ler um livro. Posso-te dizer desde já que tenho 3 ou 4 a meio de acabar de ler...depois de ter começado a ler Ray Bradbury e José Luis Peixoto retomei a leitura um livro começado já há muito tempo atrás.Livro esse que me foi emprestado por um amigo conhecedor do carinho que eu sempre tive pela personagem do Corto Maltese. Trata-se da biografia do Hugo Pratt "O desejo de ser inútil".Outrora também eu desejei criar a minha própria personagem de Bd,inspirada aqui na figura do Corto, a história de um músico de rua chamado Derrick Nightingale. Sempre gostei do traço do Hugo Pratt,tal como o Milo Manara, mas na verdade uma das minhas grandes referencias no que diz respeito ao desenho sempre foi o meu amigo "equatoriano" Félix. Espero que também ele consiga cumprir um dia o seu sonho de abrir uma casa de tatuagens(caso seja esta ainda a sua vontade hoje em dia claro).Pessoalmente por cá vou fazendo algumas tentativas de voltar à arte de desenhar que é algo que parece já vir de família.











terça-feira, 19 de abril de 2016

Recomendação Literária II - Ruy Belo


O Portugal Futuro






O portugal futuro é um país 
aonde o puro pássaro é possível 
e sobre o leito negro do asfalto da estrada 
as profundas crianças desenharão a giz 
esse peixe da infância que vem na enxurrada 
e me parece que se chama sável 
Mas desenhem elas o que desenharem 
é essa a forma do meu país 
e chamem elas o que lhe chamarem 
portugal será e lá serei feliz 
Poderá ser pequeno como este 
ter a oeste o mar e a espanha a leste 
tudo nele será novo desde os ramos à raiz 
À sombra dos plátanos as crianças dançarão 
e na avenida que houver à beira-mar 
pode o tempo mudar será verão 
Gostaria de ouvir as horas do relógio da matriz 
mas isso era o passado e podia ser duro 
edificar sobre ele o portugal futuro 



Ruy Belo, in 'Homem de Palavra[s]' 

Manoel de Oliveira - Aniki Bobó

Hoje no Cineclube de Faro irá passar na íntegra o documentário póstumo 'Visita ou Memórias e Confissões' do cineastra portuense. Ainda me lembro do dia em que este se deslocou à Ualg para receber a sua Honoris Causa. Assim como o Aniki Bobó,mas quem não se lembra deste clássico?!
Quero viver até aos 100 anos aqui como o mestre,que não só soube viver bem preservando-se, como também sendo produtivo.Se viver até aos 100 terei certamente muitos anos de vida para poder também deixar a minha marca no quer que seja que  ainda venha a fazer nas artes não é verdade?!
Até sempre.










Histórias sem história III - A sala de espera


Procuras recriar o seu rosto estrelado no silêncio abafado da noite.

Ergues depois o teu olhar e equilibras os teus passos humedecendo de novo os lábios secos. 

Bebes a absoluta solidão, sacudindo a poeira luminosa dos dias.

Voltarás sempre a esta casa, na entrega à ilusão entremuros, apelando a quem já te esqueceu.

De tanto esperar aos pouco vais te esquecendo de ti.








René Magritte - Les amants 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Mário Viegas

Mário Viegas, natural de Santarém, deixou o nosso mundo em 1996.
Existiram poucos como ele.Sempre aprendendo com este grande artista.


"Uma nêspera estava na cama, deitada, muito calada, a ver o que acontecia. Chegou a Velha e disse: olha uma nêspera e zás comeu-a! É o que acontece às nêsperas que ficam deitadas, caladas, a esperar o que acontece!"



Night Shifts VII - Spectrum

Nada como curar insónias ao som de Sonic Boom.



Night Shifts VI - TAU, A Wink To The Elements

TAU, no Lisbon Psych Fest.












Wirikuta é a terra sagrada dos Wixarrica Huichol e fica situada no alto das montanhas do México Central.Para os Wixarricas existe também a crença de que todo o mundo terá tido a sua origem em Wirikuta.

horas de reconhecimento

Tu já és a causa
e a certeza. 
Tu, ou apenas metade de ti.
Completa ou vazia, apenas metade de mim 
nos sons da outra metade de mim
nas cascatas  
olhavas para todas as águas cristalinas 
que desenhavam círculos
e pintavas mentalmente a natureza em redor
como se a tua mãe ausente se tratasse
mãe dos ventos que choram as tragédias 
na efemeridade e na distância  
reconheces os anjos nas tuas canções ciganas
e no entanto voltas sempre a esses homens
sérios e tristes 
de corações vagabundos
carregando desgostos na tez tórrida
sem reconhecerem tudo aquilo que lhes deste.

Levanta-te e reconhece o teu mundo - digo-te eu.


quinta-feira, 14 de abril de 2016

fruits of endeavour


all this tragic blood
falling through 
the sands of life

the sudden roar
the ancient words
through the flesh
of midnight solitude,
the harmony of the wicked 

the disembodiment of the world
in the enchanting visions 
of wandering spirits, mild and wild
as pure blessings,a new wave of life

in praise of endeavour
returning now to the earth
walking through the chimeras
settling my promises of faith 




quarta-feira, 13 de abril de 2016

sem designios nem mestres

Por um amor 
que queime
na memória como algodão
desnudando os véus da noite
 escrevendo as nossas histórias  
entre palmos de terra
nestas mãos traçadas 
pelo destino


crianças,mergulham 
incertas na noite
de novo em sonhos dissolventes
delírios de uma imaginação incontrolável




na hora da inocência outrora perdida
na carência faminta 
de um lobo
que cresce 
nas distancias
difusas de uma estrela

através da neblina
 os homens de braços estendidos
vêem as sombras aproximar-se
é a hora anunciada da cólera
a reminiscência ancestral
em que rompem os dias
entre murmúrios equivalentes
num ambiente ritmo obscuro.

- o ritmo das marés hipnotiza.

e ri selvático,
o louco 
da presunção 
dos que dele se esquecem.

nesta casa
queimam-se cigarros
na espera dos réus
ao som dos carros 
vagabundos 

sem desígnios
nem mestres.








terça-feira, 12 de abril de 2016

The Underground Youth

Estão de volta ao nosso país.
Com concertos no Cave 45 do Porto e no Lisbon Psych Fest, dia 14 e 15 de Abril.





Sempre bem-vindos.





De destacar também o regresso dos chilenos Chicos de Nazca ,depois de terem estado por cá na edição do Reverence Valada do ano passado.






segunda-feira, 11 de abril de 2016

Sputnik Cinema Club - Berlin 1985



*Uma raridade este video dos Sonic Youth. 





domingo, 10 de abril de 2016

Recomendação Cinematográfica XVI - O Pintor e a Cidade (1956)


*Sempre gostei da maneira como o Manoel de Oliveira retratava a sua cidade.




sábado, 9 de abril de 2016

A lenda índia do "Pássaro Trovejante"

Ela viu-o cair.
Era Wa-Kin, o primeiro sioux
Ele pensou docemente sobre a terra mole, 
não sofria de qualquer mal.
Num esplendor dourado.
Nós vemos morrer ao longe os longos dias.
Do lado da terra das lendas
A velha terra do ocidente.
A terra onde nasceu o Homem Vermelho
A terra dos mitos e das tradições
O vale cheio de histórias misteriosas,
Que nunca foram escritas.

Este poema é extraído do Chon-Oopasa que constitui o chamada "gesto das origens"dos peles vermelhas da América Setentrional.




quinta-feira, 7 de abril de 2016

Aqui me falta luz

* Aqui me falta luz
nas sombras que o mundo perdeu
estranhos são os dias 
em que chovem 
palavras trémulas,vibrantes
pelas memórias que gelam até aos ossos
peremptória arte irónica
que corroí o ar dos pulmões
soa a revoluções esquecidas
soa a indolência, na chuva que abranda
símbolos imaginários, desfeitos
ainda é possível ver o mundo novo
ainda é possível voltar a sentir
a magia da perdição, refugio na escuridão
não me perder nas vozes imaginárias  
todos os dias, o mesmo dia... 







i'll save my life 

and my last dance for you