Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 29 de maio de 2020

a late night performance - Dead Can Dance

Tive acesso à música dos Dead Can Dance pela recomendação de um professor meu do secundário que me tentava mostrar outros horizontes para além do metal mais extremo a que me dedicava com toda a devoção na altura. Ficaram os Dead Can Dance tal como ficariam muitas outras bandas recomendadas por esse professor. Fez 1 ano há uns dias atrás que me ofereceram bihete para ir ver los. Entretanto tinha já postado o video do concerto aqui no blog. Confesso que o fiz talvez por alguma indignação e revolta, pois após um concerto imáculo em que todas as virtudes da voz da Lisa Gerrard continuavam presentes, os comentários na caixa pareciam focar se essencialmente no excesso de peso da cantora. É verdade que fisicamente ela estava quase ireconhecivel mas caramba deu nos um concerto irrepreensível, as qualidades continuavam todas inatas. Confesso que tudo isto me continuará a causar revolta e indignação todos os dias...o excesso de importância que se dá à imagem e a um determinado "estatuto", em parecer se sempre bem para os outros e essencialmente em ir se alimentando o ego nas guerras desenfreadas por likes e seguidores nas redes sociais. Não estou inocente nesta guerra eu sei...pois também eu vi me outrora mergulhado e perdido nesse ritual de pedantismos e percas de tempo que poderiam muito bem ter sido utilizaveis em coisas mais úteis,produtivas e quiça saudáveis. Mas a futilidade, os gossips etc estes sim...entediam-me todos os dias. Sejamos por isso sempre exigentes com nós mesmos, física e mentalmente mas peço com franqueza que esse grau de exigência abranja igualmente a mensagem inerente de todos nós. Pois cada um tem a sua...e por mais insignificante que por vezes possa parecer perante o olhar sobranceiro de outros essa transcenderá sempre qualquer manto corpóreo ou "status" ou o quer que seja...pensemos bem por isso sobre tudo que queremos dizer para os outros. E em que sentido isso poderá ser útil. 
E é isso...de resto enjoy life que a vida são só dois dias.




Toward the Within foi o primeiro álbum que escutei dos Dead Can Dance e foi publicado em 1994.





quinta-feira, 28 de maio de 2020

de profundis natura

Death, oh mighty death!

thine pallor eyes waits us beyond the silky veil

the proud man feared you

the ravenous void receids you

existence so lost like a hare

through misty woods


in the maze of all madden maidens

and statues with severed heads

its the sap of their disenchantment

the derision of eternity, through the hallways of time

the devils enhacement, through all abominations sublime

 - in the forbidden radiance, the sacred mantras of creation


quarta-feira, 27 de maio de 2020

ways of a plague



we walk back, hand in hand



into a gleam of seductive possibilities



among the mist of warlords in growing hostilies



a call to arms



carrying us the faith, in desperate charms







drawn by a plague,



those scattered shadows were foreseen



in all foolish steps between



crushing into the grounds of certainty



all concepts of humanity, they lied to us

through media alarm calls

and crooked views of equality



" a book is a loaded gun in the house next door..." (Fahrenheit  451, Ray Bradbury)

terça-feira, 26 de maio de 2020

a late night performance - Brant Bjork

Muito boa onda o novo do Mr. Brant Bjork. 
 Tenho o ouvido bastante durante estes dias de quarentena, gosto principalmente da segunda e da terceira música
. Embora todo o álbum se oiça bem.





desert wanderer


he wants to pay all his dues
and sell it out to his chasing shadows
he wants to sing all his songs
and trade it
for the company of the whores
but clinging always to a love crazy

sold his soul, for a dime and a day
to keep uttering his madness
through the history of men
a thundering call still roars
tracing
his roadmaps into the wilderness
ride the wave now
ride the wave like a shooting star

segunda-feira, 25 de maio de 2020

raison d'etre

just a promisse unkeep
that lingers
in a unknow raison d'etre


the leap,
to which all
relentlessly surrenders

at dusk



servant of the slime, from the damp prison cell

i learned my lesson well

this time

perfection

is now scalloped in every features



sinisters sisters came to pay us promises

with their wide open veins

where wise men once spoke with indiference

calling out for a cure, in deliverance

to makes us forget

that we're at the edge
 (of a shipwreck everyday)

a letal dose to stumble, eye to an eye to supress this fray

challenging those men to deny their evasing treads


- to defy all distorted voices in a call



The Trapeze, by Max Beckmann (1923)






sexta-feira, 15 de maio de 2020

A late night performance - Death (Human)


Nos antípodas do estéreotipo de qualquer "metaleiro fudido" Chuck Schudiner tal como Hendrix, aparentava ser um tipo porreiro. Provavelmente teriam se dado bem estes dois se ambos tivessem vivido numa mesma era. Dois génios. Cada um à sua maneira.

Human foi o primeiro álbum que ouvi desta banda pioneira do Death metal americano e foi publicado em 1995.