Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Night Shifts XXIV - Dead Can Dance

Ao lado da determinação de world music virá certamente o nome de Dead Can Dance. 
O colectivo dos australianos Brandon Perry e Lisa Gerrard têm praticamente contabilizados tantos anos de actividade como eu de vida e no entanto continuam por cá a esgotar a lotação dos seus espectáculos. 
Sinais de que ao contrário de muitos, o produto artístico continua a ter garantias de qualidade superior e a seguir a índole que os destingiu desde sempre.
Curioso este pequeno documentário, apresentado no canal francês ARTE a revelar alguns pormenores biográficos da carreira do casal, provavelmente desconhecidos da grande maioria do seu público. É disso exemplo os vídeos da antiga banda punk de Brandon Perry, os Scavengers.










quinta-feira, 23 de maio de 2019

Night Shifts XXIII - Edward Artemiev ( Stalker )

Numa de revisitar os grandes mestres das movie theme soundtracks:



Popol Vuh ( Werner Herzog), Porkofiev (Sergei Einsestein) e Eduard Artemiev ( Andrei Tarkovsky)

quarta-feira, 22 de maio de 2019

the waltz of dissonance





it begins 
with a leap
into nothingness
through endless rains of tomorrow
and sings on,
in a silent heap 
through cold lips of sorrow
it endures 
in all this hipnotic gaze  
till leave us with no trace
to where 
which nothing ever returns
just airborne soul
undeemed 
to dissapear 
with no tears 
under the waves
under the moon 
by the sea



sábado, 29 de setembro de 2018

Night Shifts XXII - Soulside Journey



Visto por alguns como o álbum "bastardo" da discografia dos noruegueses Darkthrone, sempre foi um dos meus preferidos e um dos poucos que ainda oiço regularmente e sem parar. (Coloco-o junto a álbuns como o Blaze in the Northern Sky ou Transylvanian Hunger na boa...embora este último continue realmente a ser o meu preferido).


quarta-feira, 28 de março de 2018

Álbuns que mudaram o mundo VIII - Arise

 Li algures que o Arise dos Sepultura fez anos.Terá sido editado no dia 26 de Março de 1991. E este sem duvida que foi um album marcante no "universo metaleiro". Não só para mim, pois foi um dos primeiros álbuns dentro do género Thrash/Death que ouvi (curiosamente juntamente com o The Laws of Scourge dos também brasileiros Sarcófago), como para grande parte das bandas na altura tendo sido uma influência decisiva para a mudança de sonoridade das mesmas.


domingo, 12 de novembro de 2017

Night Shifts XXI - Swans are dead (long live the Swans)

Que pena não ter ido ver ao concerto da última tour dos Swans no nosso país.






sowing and reaping



dare to speak
about those blunt visions of beauty
in a cold world of war
grasp by hand
the choise of treason,
coiled in a evil romance.
once satan's own beauty
- a weapon of true light,

born dead 
and now dead again 
a new secret 
in life and death,
unravels
in the beginning of
 another journey 
always 
a seer
of a underworld 
beyond




out of sight - out of heart 

they say

 pray a little more 

now 

for a little fiddle sway


- pray forever more 

for the rejoice

of staying away


to overcome this carnage
a Banshee 
of impure languages
with angel breath
confessed 

to a deeper soil
her own faithless revenge
in spite of all 
the feverish sound of lies
 it's her damnation, 
to question all
 permanently, 
such defying task, a purifying desire 
 that silently goes
through us,
the hungry lions den
- onward 
our own reign 
of death

so much hate
to bind me into you
to purify
the misery inside me
becoming
 
the scavenger, 
 emerged
 in a profound sound 
behind a secret door
streaming in sin
ripping apart 

all this fallacious skin
those forgotten realms
again revealed

my lord, tell me 
now
where it lies all my humanity?!


Surrendered it was
in a dead remembrance of you
in a meaningless manifestation
of existence.
through the ages of darkness 
now reborn
- love is the flaming dart 

that fuels all hate.