Pesquisar neste blogue

domingo, 27 de dezembro de 2015

James Joyce - Dubliners










Já não comprava um livro há quase 4 anos. Os últimos tinham sido o “Just Kids” da Patti Smith e o“Hell’s Angels” do Hunter S. Thompson. Trabalhava para a Ryanair (companhia aérea irlandesa) quando estava no Aeroporto de Faro e lembro-me que os vôos mais baratos eram os para Dublin,Paris- Beauvais, Porto, Madrid e uma cidade qualquer na Dinamarca. Lembro-me também de como era caricato fazer check-ins para Paris-Beauvais com as suas filas intermináveis de emigrantes, pessoas pouco habituadas a andar de avião e com os respectivos farnéis(mesmo à antiga portuguesa).A última vez que estive em Inglaterra foi em 2009 e foi só uma breve passagem de 3 dias, antes disso tinha tido uma estadia de cerca de 2 semanas em Londres em 2006. ( Yes, I’ve only been in England twice.) Sempre tive curiosidade no entanto em visitar a Escócia e a Irlanda.Os voos mais baratos são mesmo os de Faro para Paris- Beauvais,no entanto tendo em conta os recentes acontecimentos pensei que talvez fosse antes uma boa ideia aproveitar os vôos a cerca de 30 euros para ir passar o ano novo a Dublin. Mas o trabalho e a (ainda) pouca disponibilidade financeira fazem com que tenha que adiar uma vez mais este meu sonho.Resolvi por isso mesmo investir neste livro do James Joyce ( que nunca li) .Um dos heróis nacionais da Irlanda.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Night Shifts V - Jackie Mittoo & Ernest Ranglin

O mestre das teclas Jackie Mittoo sempre fez magia.
Gostaria de arranjar uns álbuns dele.
Pois é dread...1970.Por sua vez o Kruder & Dorfmeister e Jazzanova já lançaram os seus álbuns neste milénio.
Algo me diz que tal não teria acontecido senão tivesse existido primeiro o Jackie Mitto.



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Night Shifts IV - The Cure

É inevitável...acabo sempre perdendo horas vendo as raridades do Youtube. E os The Cure têm sido de facto "um mimo" para este capitão romance das horas perdidas de sono entre as semanas de trabalho. São muitas horas de sono a menos. São...mas vale a pena. E o Robert Smith parece-me irremediavelmente cool no TOTP. A década de 80 também pertencia-lhe e provavelmente ele nem o sabia e é aí que residirá muito do seu charme neste vídeo. 




sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Spacemen 3 birthday party


Podiam chamar-se Spacemen 3 mas a verdade é que eram 2 os principais mentores da banda.Peter Kember e Jason Pierce para além da particularidade de terem tocado durante vários anos na mesma banda,de terem nascido e crescido na mesma cidade, nasceram também no mesmo dia.Hoje ambos completam 50 anos. O choque entre egos a determinada altura das suas carreiras fez-lhes tomar rumos distintos.Um talvez mais comercial que o outro, uns mais apreciados por uns ou por outros, indiferente a tudo isso pessoalmente não consigo ter preferência por nenhum dos dois, creio ser consoante o "estado de espírito" digamos assim.(Um mais alucinatório e experimental, outro mais gospel e espiritual...ambos geniais).Curiosamente o aniversário do Neil Young também foi à uns dias atrás.Os astros deviam estar inspirados nesta altura do ano.





quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Álbuns que mudaram o mundo V - Methodrone (1995)

Facto. O Methodrone é um dos melhores álbuns de Shoegaze de sempre. Apresento as minhas devidas desculpas à Rachel Goswell e ao Kevin Shields se for preciso mas para mim será mesmo o melhor.






terça-feira, 17 de novembro de 2015

Recomendação cinematográfica XIII - Smultronstället (1957) Ingmar Bergman

O mais surrealista de todos os filmes do Bergman e talvez por isso mesmo o meu preferido.




domingo, 15 de novembro de 2015

Velvet Underground in Bataclan 1972


Porra, mas quem é que é a aberração que desata aos tiros no meio de um concerto de Rock n Roll ?! Num meio de um evento que se quer apenas de convívio e celebração de vida…quem me conhecer minimamente saberá certamente o quanto esta merda mexeu comigo…desde estupidificação, a sensação de impotência, náuseas até à revolta e ódio à medida que ia tentando descobrir o que raio se tinha passado e ia vendo os comentários mais absurdos quer no Facebook, quer nos blocos noticiosos. E como sempre acabei por assistir às maiores barbaridades e acabei por nem sair de casa este fim-de-semana. Mas agora não vejo a hora de ir ao próximo concerto e celebrar em grande…não em nome de nenhuma “guerra santa” ou de algum “deus-dinheiro” mas apenas e só porque eles não merecem outra consideração.





quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Night Shifts III - The Vacant Lots








Na pole position dos concertos que já vi este ano estarão sem duvida os The Vacant Lots(em Lisboa) os One Unique Signal e os Dead Ghosts( os concertos que mais terei curtido no único dia que fui ao Reverence este ano.) No post anterior esqueci-me de referir os Gories ( de Detroit) que fui ver num fim-de-semana a Sevilla na agradável companhia de um casal bem porreiro que ainda conheci em Faro, ele alentejano de Aljustrel e ela uma antiga estudante Erasmus da Eslováquia que acabou por ficar-se pelo nosso pais. Fornecendo a boleia, foram sem duvida a melhor companhia para a ocasião.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Álbuns que mudaram o mundo IV - Just Another Diamond Day (1970)







Os tempos são claramente de dificuldades.E nestes tempos ver um concerto tornou-se quase um luxo.Assim de repente apercebo-me que quase não fui ver concertos nenhuns neste ano de 2015.Tirando uma viagem de 1200 kms para num dia revisitar a bela cidade do Porto e rever os The Underground Youth,tirando o Reverence Valada, os The Vacant Lots e os 10 000 Russos no Sabotage em Lisboa e eis que não fui ver praticamente mais nenhum concerto este ano.Quase impensável para quem ia ver quase sempre um ou dois concerto por mês a Lisboa.Quase impensável perder a Patti Smith nas duas vezes que ela cá veio este ano,perder os Spiritualized no Primavera Sounds, o Sonic Boom em Braga logo no inicio do ano,o Indouro Fest etc…e em pleno dia de aniversário tinha a Vashti Bunyan no Maria Matos em Lisboa.Não fui..tenho que me redimir para o ano em grande.Ir ver os BJM e JAMC ao Cosmosis Fest em Manchester seria sem dúvida uma boa forma de o fazer…parece-me quase impossível mas veremos.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Joy Division - The Documentary

Pode ter sido uma banda que me passou ao lado durante os anos mais conturbados da minha adolescência mas teria encaixado que nem uma luva naquela altura. Só os descobriria mais tarde. No entanto o "Unknow Pleasures" continua e continuará a ser para mim dos melhores álbuns de sempre.
















sábado, 17 de outubro de 2015

Night Shifts II - Rowland S. Howard / Nikki Sudden



*Procurei na net as letras desta canção fenomenal mas não encontrei...

"And the dusk will fall,
deep deep in her veins..."







quarta-feira, 14 de outubro de 2015

John Fahey - In Search of Blind Joe Death

No restrito panteão dos guitarristas imortais,John Fahey terá sempre uma categoria própria.Da mesma maneira que Kerouac está para a tradição americana na literatura,Fahey estará igualmente na guitarra.Criador de um tipo de fingerpicking original e minimalista,este destaca-se principalmente pela sua ambiência e originalidade.Possuidor de uma discografia vasta e diversificada, nos últimos anos da sua vida chegaria inclusive a colaborar com alguns dos músicos mais reconhecidos no mundo da musica experimentalista.Caso dos Sonic Youth ou de Sir Richard Bishop.





domingo, 4 de outubro de 2015

Night Shifts I - Anemone

* pintar anémonas de Caen como num qualquer sonho de Monet.











fallen angels




marc chagall


a brood 
of empty stars
a murmur 
of voluptuous encounters

the world knows your love
the world bleeds with you
battered, full of tears
sublime, just for one day
in each blade, 
a surrendering stone
another creed
all buried beneath,
lust and denial

- the day that never comes,
redemption for all day dreamers

fallen angels
in desolation
drifting along the pier
are they waiting for thee
to show you again
the delightful
touch of wonder.
for what desolation
fiercely they plunder?!

through the window
in the narrow room
a silhouette of trees
in the allure of Autumn

-trying to regain once again
the heroic torch of love








sábado, 12 de setembro de 2015

Strategies Against Architecture


*Einstürzende Neubauten ist toll!
                                       (german for dummies :P)





segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Um deserto neste ecrã

No prefácio de uma vida ao virar da esquina
a mulher fantasma que desejavas amar o sangue que agitava o coração
nas intenções que perduram
e nos novos desígnios.

Cowboy a caminhar em direcção ao por-do-sol


Não, não é este o filme imaginado...


Actor em teatro que afronta as paixões entre páginas em branco, afrontas o tédio despedes-te sem mágoas

de tudo o que não foste.

- ofusca-se depressa
sempre a mesma imagem
pelas manhãs da Primavera.



Anna Karina - Sobre o sol, exactamente

Se sonhas comigo à margem do mar, sonhas em que mar ?!


Ennui...


Somente matemática

tão só, num imensurável ponto de não retorno entre mundos e contos de tristeza.
Afugentando pássaros, nos passos em falso
toda a lembrança deformada de um mundo em pensamentos
sangra, inocente à luz da justiça divina.

Adornando os santos nos teus templos

tentas assim um tempo só nosso no império do pecado original
elevando os espíritos, perscrutando entre as brumas da solidão
confessas aos teus temores aonde se escondem
as asas coloridas do destino e ao silêncio tudo o que floresce entre os teus braços na expectativa do amanhã.








domingo, 6 de setembro de 2015

Recomendação cinematográfica XI - Fallen Angels



" Most people work from 9:00 to 5:00
I'm just the opposite
my job is simple
I visit some "friends"
once in a while..
I don't know any of them
and I'm not interested
in them either
because they'll soon be
 gone forever..."









terça-feira, 1 de setembro de 2015

Terry Gilliam - Animations

* Terry Gilliam igual a si próprio.












quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Dead Skeletons - new song

Os Dead Skeletons têm uma música nova, sinal de que uma das minhas bandas favoritas do neo-psicadelismo parece querer voltar ao activo.





Crass - There Is No Authority But Yourself

Creio que já tinha postado isto antes.
Nunca é demais repetir.




* Sometimes being rebellious in this fucked-up world just seems the only way to be alive.





Reverence Valada 2015

E pronto, cumpriu-se o primeiro aniversário do Reverence Valada. 
Este ano irei só no dia 29,uma vez que tirando os americanos The Warlocks, acho que não me interessa ver mais nada que não seja desse dia. Assim, os alemães Amon Duul II assumirão um bocado o papel que os Hawkwind ou os Swervedriver assumiram o ano passado. O papel daquela banda histórica que é fundamental ver ao vivo pelo menos uma vez na vida. Acho que os Slowdive também se encaixariam bastante bem neste papel e no festival...infelizmente foram antes a Paredes de Coura. Para além dos Amon Duul II e dos já referidos Electric Moon, terei curiosidade em ver os Dead Ghosts ( o equivalente a uns Black Lips canadianos) e os Magic Castles. Estes últimos, descobertos por Anton Newcombe são seguidores da antiga escola da Psychedelia dos anos 60 ( The Chocolate Watch Band, Os Mutantes...) com uma voz que a mim me faz lembrar um pouco o Robin Pecknold dos Fleet Foxes. E depois, os britânicos The Horrors, banda que admito nunca ter tomado muita atenção e o inconfundível Joel Gion dos The Brian Jonestown Massacre , que apesar de vir acompanhado pelo Collin Hegna e pelo Dan Allaire (respectivamente baixista e baterista dos BJM) creio que irá apenas tocar temas do seu primeiro álbum a solo, Apple Bonkers e não músicas dos BJM , ao contrário do que vi anunciado em alguns sites.
Boa jornada a todos aqueles que foram o ano passado e adoraram tal como eu...e por isso mesmo irão voltar este ano. E aos que forem este ano pela primeira vez e que eventualmente tenham-me ouvido dizer maravilhas da edição do ano passado, espero que não saiam de lá desiludidos. Se funcionar minimamente como no ano passado haverá no entanto bandas para todos os gostos. Foi essa uma das grandes virtudes da primeira edição.














quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Brian Wilson

Depois de um ano em que se viu um Outkast a (re)encarnar Jimi Hendrix e se ter falado em James Franco e em Leah Costello para os papeis de Robert Mapplethorpe e Patti Smith na adaptação cinematográfica de Just Kids, o mítico compositor dos Beach Boys também já merecia uma oportunidade de Hollywood oferecer-lhe o seu biopic.Coube desta vez a John Cusack representar o seu papel no grande ecrã.
De referir que embora, em pleno auge da Beatlemania, não tenha sido um grande sucesso de vendas, Pet Sounds (1966) hoje em dia é quase unânime considerar-lo como um dos melhores álbuns de sempre. 





Ah! E o Christian Bland que o ano passado esteve também em Valada e eu não perdendo "pitada" do concerto, com a minha t-shirt de White Hills na boa companhia do camarada J.Cunha(da loja Vinyl Experience em Lisboa).




Miranda Sex Garden

Assim de repente...recordei-me de quando nos tempos do liceu tinha uma paixoneta pela Aneeke van Giersbergen dos The Gathering e pela Katharine Blake dos Miranda Sex Garden.




Porra, mas aonde é que será que andam as Katharines Blake deste país ?!







terça-feira, 25 de agosto de 2015

Tuff Gong

Haverá sempre espaço e amor na minha vida para o Reggae/Roots e o Dub.
A Tuff Gong Records foi fundada na Jamaica em 1970. Tendo editado o primeiro Ep dos Wailers em 1971. Run for Cover era a música que marcava assim o inicio de uma bela aventura.
De referir que Tuff Gong era também a alcunha pelo qual Bob Marley era conhecido durante a sua infância em Trench Town


"Chanting down Babylon..."









Histórias sem história II - O Último Homem

Late night

O império da noite encontra-se agora pacifico.
A festa terminou.
O último homem depois de tentar beijar Leonor, parte
o seu semblante é pesado.

- Queria deixar-te marcada,
fustigada na descrição do desejo carnal,
mordendo os teus lábios.

Quando acordou, era meio-dia.
Algo desaparecera, talvez a esperança.
Talvez a chaga não seja bordão destinado a florescer.
Dizem que o amor aproxima os homens de Deus.
Dizem que o amor é lei.
No entanto este homem desconhece a razão dos deuses
e porque continua a ser ateu.

Midnight

A noite perene eras tu 
latejante,
no abandono de um homem disforme
o presente e futuro
entre rios de sangue 
é um olhar que desperta, uma fronteira invisível que delineia
desta montanha sacra, o eterno retorno.

relança-se de novo à garrafa
beatificando aquela que lhe desperta os órgãos vitais
da carne embebecida
à obsidiana casa de vidro
tudo é vago como o homem nu
tudo é frívolo como Deus.

pelas ruas do crepúsculo
crescendo nos limites de quem possuis
da obsessão ao adeus
um palpitante coração de vidro
vives à deriva
entre as vidas de um gato.

"estás aqui como os ventos do deserto, 
és o sal que me arde nos olhos".

E o último homem Sylvia Plath,
redigindo os seus poemas,
no vácuo inocule das estrelas,
para onde tenta ir sempre 
fugindo a todos os ciclos vegetativos
e ao paradigma dos poetas suicidas.

-Foi para isto que vim de tão longe?!

Queria aprender a tocar trompete.
Assim como Miles Davis
Queria vender todos os anéis.
Não para se meter na droga,
mas para poder comprar o bilhete de comboio, 
e assim partir na promessa
de um tempo sagrado que parece nunca mais chegar.






           

          domingo, 23 de agosto de 2015

          Cluster & Eno

          Sempre houveram parcerias felizes na história da música. Ao escutarmos a dos germânicos Cluster de Dieter Moebius com o britânico Brian Eno conclui-se que este será sem dúvida um desses exemplos.




          sábado, 22 de agosto de 2015

          Recomendação Cinematográfica X - The outsiders (1983)

          Da minha pré-puberdade recordo-me apenas que, depois de ter visto praticamente todos os filmes da secção de Artes Marciais do meu antigo video clube, depois dos Beatles e do Star Trek veio a fase dos filmes de gangs de rua. Um dos meus preferidos era o The Outsiders (de Francis Ford Coppola) que vi muito antes do mais reconhecido e aclamado Rumble Fish.




           








          the sinners belief




          a toss of cupid
          a ardent grim

          a due

          from constellations inside 

          of chaos
          pulling you back again



          through 

          an endless void

          through 
          all raging seasons,

          - blooming seeds of 
          forgotten reasons

          in our fleeting lives 


          towards 
          all knowledge
          denied


          misguided

          and too far 
          from thoughts.


          the scarlet virgin


          wild temperamental beauty

          claimed all her sacred realms


          -blewing the horn of bonds


          and we recall it all
          through our rites of sin
          a new stellar dimension
          between genesis and chaos
          where we fall 
          for her figure again
          and for all
          the feathered gods
          in vessels 
          crossing 
          the golden seas
          at the edge of a new world



          visions of death
          and rebirth
          in nights of love...