Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Diários de Bordo XVI ( Lendas de Alhambra - Casa do Galo de Vento )








No cume da elevada colina do Albaceín, que é a parte mais alta da cidade de Granada, existem as ruínas do que era antes um palácio real, fundado pouco depois da conquista de Espanha pelos árabes e convertido hoje numa fábrica. Este edifício conserva ainda o nome especial como foi conhecido durante séculos, de"Casa do Galo de Vento". Chamou-se assim por causa de uma figura de bronze que representava um guerreiro a cavalo armado de lança e adaga, sobre uma das suas torres, e girando para onde soprava o vento, com uma legenda em árabe que traduzida em um romance castelhano, dizia algo como:


"Diz o sábio Aben-Habuz
Que assim se defende o Andaluz."


Este Aben-Habuz - segundo as crónicas mouriscas- foi um capitão do exército invasor de Tarik, a quem deixou aquele como Alcaide de Granada. Julga-se que colocou aquela figura guerreira para recordar constantemente aos habitantes muçulmanos que estavam rodeados de inimigos. Contam as tradições no entanto uma história diferente e afirmam que a figura de bronze era um talismã de grandes poderes, ainda que em época posterior tivesse perdido as suas mágicas propriedades, degenerando num simples cata-vento.





Sem comentários:

Enviar um comentário