Pesquisar neste blogue

terça-feira, 19 de abril de 2016

Histórias sem história III - A sala de espera


Procuras recriar o seu rosto estrelado no silêncio abafado da noite.

Ergues depois o teu olhar e equilibras os teus passos humedecendo de novo os lábios secos. 

Bebes a absoluta solidão, sacudindo a poeira luminosa dos dias.

Voltarás sempre a esta casa, na entrega à ilusão entremuros, apelando a quem já te esqueceu.

De tanto esperar aos pouco vais te esquecendo de ti.








René Magritte - Les amants 

Sem comentários:

Enviar um comentário